Começar um blog… Pra quê?

Com as pessoas cada vez mais submersas em redes sociais, será que vale a pena criar um blog? Vale! Mesmo com milhares de blogs começando (e acabando) diariamente, ainda existe uma série de benefícios que você pode conquistar com o seu endereço próprio na rede.

Para começo de conversa, o blog é seu – pode parecer pouco, mas não é: quem já publica profissionalmente em uma página do Facebook, por exemplo, já deve ter percebido que independentemente do número de seguidores, apenas uma pequena parcela deles recebe suas publicações. Isso faz com que, mesmo depois de investir muito tempo e cuidado na publicação de uma atualização, ela seja vista apenas por algumas pessoas.

Já no blog, além de você oferecer um local de fácil acesso ao seu conteúdo, ainda é possível oferecer formas dos interessados receberem seu conteúdo por e-mail toda vez que você publica, e manter um contato mais direto com o seu público. Além disso, você não está sujeito a “mudanças de políticas” constantes das principais redes sociais: ninguém, a não ser você, vai dizer que um conteúdo pode ou não pode ser publicado – e se você quiser tirar tudo do ar, mudar de plataforma, editar da maneira como quiser: o controle é seu.

Mas e se o seu problema não for o porquê, e sim o “o que dizer?”. Nesse caso, existem diversos motivos que levam uma pessoa a montar um blog. Eles podem ser tanto de ordem pessoal quanto profissional, por exemplo:

Entre os motivos pessoais estão:

  • Ter um espaço pessoal para expressar ideias, pensamentos e a sua criatividade: ter um lugar todo seu para textos, poesias, artigos, fotografias, ilustrações e pinturas – ou qualquer outra forma de expressão que você possa pensar.
  • Aprender algum tópico específico ao ensiná-lo: uma das maneiras mais eficazes de aprender é pensar em como você ensinaria esse conteúdo para outra pessoa. Muitas pessoas montam blogs para sintetizar o resultado de suas pesquisas e estudos em artigos e tutoriais que podem ser úteis a outras pessoas.
  • Documentar experiências e jornadas (viagens, perda de peso, treinamentos para corridas e maratonas etc.): esse tipo de conteúdo é tanto de extremo valor para o autor (que passa a valorizar muito mais a sua jornada) quanto para os visitantes, que podem ter acesso a experiência dos outros para aprender dicas ou evitar tropeços.
  • Ou a pura e simples realização pessoal, ao se tornar um escritor ou profissional melhor.

Mas nem só de satisfação pessoal vivem os blogs – muita gente coloca neles a esperança de conseguir uma fonte de renda – e embora eles já não funcionem como fonte direta de renda (exceto por adwords, que rendem cada vez menos aos produtores de conteúdo), é possível utilizá-lo como ferramenta de apoio para a divulgação de um produto ou serviço.

Profissionalmente, com o apoio de um blog é possível:

  • Estabelecer-se como “especialista” em determinado assunto: diferente de um blog pessoal, quando o foco é profissional, o ideal é que o foco de suas publicações seja bem definido, para que você possa trabalhar com assuntos em profundidade. Dessa maneira, você pode se estabelecer como especialista em um determinado assunto ou campo.
  • Aumentar contatos de negócio: blogs profissionais, ou corporativos, também podem ser utilizados como forma de aumentar o número de contatos de negócio, ao atrair pessoas e empresas interessadas no que você tem a dizer.
  • Investir em marketing de conteúdo: gerando conteúdo a partir da sua marca. Ao invés de investir na publicação de anúncios e propaganda em geral, com o Marketing de Conteúdo investimos nos interesses e problemas de nossos clientes, produzindo e promovendo conteúdo relevante que atenda a essas questões.
  • Desenvolver conteúdo para um nicho específico, como redator, escritor ou produtor de conteúdo: é possível ganhar dinheiro com blogs sem ter seu próprio blog, mas produzindo conteúdo para outros blogs. Nesse caso, trabalha-se como redator ou escritor contratado, e se produz conteúdo dentro de nichos específicos: investimentos, perda de peso, organização financeira etc. Existem diversos sites de freelances que publicam essas demandas em busca de escritores profissionais – e se você já tiver um blog funcionando nesse exato nicho, melhor para o seu portfólio.
  • Ganhar dinheiro, com propaganda ou como afiliado: se o seu objetivo é pura e simplesmente ganhar dinheiro com o blog, as duas maneiras mais fáceis são por meio de anúncios (como o Google Adwords, por exemplo) ou como afiliado de algum produto ou serviço (você faz propaganda e divulgação desse produto ou serviço aos seus leitores, e ganha uma comissão sobre a venda toda vez que esse produto é comprado por um deles). Nesse caso, você deve estar atento a algumas questões. A primeira é que anúncios são cada vez menos clicados, e cada vez mais pagam menos – uma estratégia exclusivamente no Google Adwords, por exemplo, pode resultar em muito pouco dinheiro no final do mês. Já no caso de afiliados, a relevância do conteúdo que você oferece é fundamental – caso contrário, uma vez que seus leitores percebam que a sua única intenção é vender produtos e serviços a eles, você dificilmente manterá esses leitores. Tanto o seu conteúdo, quanto os produtos que você divulga como afiliado devem ser de qualidade.

E se você tem interesse em saber mais sobre como montar um blog, não se esqueça: Dia 21 de Outubro vou lançar o livro “Com o Blog na Rua: Planejamento estratégico de conteúdo para não deixar seu blog morrer por falta de ideias, inspiração e posts“. Então se você tem alguma dúvida sobre o assunto, e gostaria que isso fosse coberto na edição final do livro, aproveite para deixar um comentário!

2 Comentários

  1. Pingback: Escreva e eles virão. Será? | Intelligente

  2. Pingback: Quem te conhece que te compre | Intelligente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *